Região dos Lagos << voltar


Foto de André Hawle: Viaduto que interliga a Lagoinha à Av. Henry Nestlé (ago/2013)

A Zona Leste de Ribeirão Preto vem despontando como um importante vetor de expansão imobiliária. Diversas construtoras que atuam no município já adquiriram terrenos na região e estão lançando e projetando empreendimentos de excelente padrão. Alguns projetos já foram concluídos e entregues aos moradores, enquanto outros estão em andamento. Segundo a assessoria de imprensa do SindusCon-SP (Regional de Ribeirão Preto), os valores dos terrenos estão mais acessíveis do que na Zona Sul e o potencial da região promete bons retornos financeiros às construtoras.

A Região dos Lagos é o principal foco dos investidores, sua principal via de acesso é a Av. Henry Nestlé, recentemente duplicada incluindo ciclovia e um novo viaduto recém-inaugurado que permite acesso fácil e rápido às regiões centrais da cidade.

O início das obras do “trevão” chamou a atenção de novos investidores e construtores do Estado tornando hoje a Região Leste uma das mais promissoras da cidade para valorização imobiliária. José Batista Ferreira, diretor da Costallat Engenharia afirma, “sempre acreditei e investi na região, temos muitos lançamentos entre condomínios fechados, loteamentos e prédios que tiveram valorização excepcional nos últimos anos.” Sr. Batista afirma que é possível fazer belos projetos imobiliários com preços mais acessíveis do que a Zona Sul e mais por isso a procura aumenta a cada dia.

Atualmente grandes e empresas de comércio e serviços como Novo Shopping, Nestlé, Rede Atacadão de supermercados, Wall Mart, Leroy Merlin, Dabi Atlante, Ambev, Gnatus entre outras, possuem muitos colaboradores que procuram locais nas proximidades para morar e facilitar o dia a dia. “Ribeirão Preto ainda é considerada uma cidade provinciana, mas já têm adquirido hábitos das grandes metrópoles, morar perto do trabalho é uma delas”.

De acordo com as pesquisas da Mercadotecnia, dos empreendimentos lançados em 2012 e 2013, 27% estão na Zona Leste. É a segunda região que mais cresce nos últimos dois anos. Em 2013, os lançamentos da Zona Leste tiveram aceleração, enquanto na Zona Sul a proporção diminuiu comparado aos anos 2010 e 2011. Isso acontece devido ao valor do metro quadrado da região leste, considerados mais vantajosos comparando valores agregados do projetos.



Porque a Região dos Lagos?
 
1- É a região com a maior valorização do metro quadrado nos últimos 5 anos.

2- É a única região da cidade totalmente planejada por uma equipe técnica.

3- Tem todos os empreendimentos obrigados a reservar no mínimo 35% para áreas verdes, sendo que no restante da cidade é 20%.

4- Tem a menor densidade demográfica da cidade, no máximo 650 habitantes por cada 10.000 m2.

5- Por ser mais verde, é a região mais fresca da cidade. 

6- É a segunda região que mais cresce, considerada por empreendedores  a mais promissora, com grande potencial de valorização. 

7- É considerada pelos urbanistas a região de melhor condição estratégica de acessos rápidos para todas as áreas da cidade. 
(Leva se apenas 10 min. para chegar no Rib. Shopping através do contorno Sul).  
8- Tem como “porta de entrada” o maior trevão do Brasil, (Já inaugurado).

9- Está próxima dos tradicionais clubes da cidade (Hípica/ Clube dos Comerciários, Clube Regatas e Clube de Campo da Recreativa).

10- É a região de condomínios fechados de maior procura devido ao melhor custo-benefício dos imóveis (Villa d´Itália/ Portal dos Pinheiros/ Campos do Jordão, Villarino e outros).

11- É a região cujos moradores possuem maior fidelidade, raramente migram para outras localizações.“É um lugar especial, longe da bagunça, mas com fácil acesso ao centro e demais  regiões”, explica a moradora Andrea Barros.












 

Foto de Gustavo Semeghini: Ciclovia da Avenida Henry Nestle ao por do sol (set/2013)

 





O maior Trevo do Brasil, na porta da Região dos Lagos.






 

 Ribeirão Preto ganhou a maior obra pública de todos os tempos, o Trevo Waldo Adalberto da Silveira, o Trevão, considerado o maior entroncamento viário do Brasil. Construída em 1972, a obsoleta rotatória foi substituída por oito viadutos, 20 alças de acesso e retorno, incluindo passarela de pedestres.
 
O complexo foi inaugurado dia 22 de dezembro de 2014 pelo governador Geraldo Alckmin (PSDB). O investimento totaliza R$ 120 milhões. A obra foi executada pelas empresas Autovias e Vianorte, ambas pertencentes à Arteris. 
 
O Trevão liga as pistas nos dois sentidos da Anhanguera com as rodovias Duarte Nogueira (SP-322 – porção final do Anel Viário Sul, que dá acesso à rodovia Antônio Machado Sant’Anna, a SP-255), Abrão Assed (SP-333) e avenida Presidente Castelo Branco.
 
“O Trevão é talvez o maior complexo viário da América do Sul, uma obra de excelência de engenharia realizada a custo baixo. O novo complexo viário foi entregue à população pelas empresas Autovias e Vianorte – ambas pertencentes à Arteris. 
 
O projeto nasceu quando se constatou que a antiga estrutura – uma rotatória com 420 metros de diâmetro, construída em 1972 – havia se tornado obsoleta perante o crescimento populacional e de tráfego da região.
 
  - FONTE:  Site do Jornal A CIDADE


Ribeirão Preto ganhou a maior obra pública de todos os tempos, o Trevo Waldo Adalberto da Silveira, o Trevão, considerado o maior entroncamento viário do Brasil. Construída em 1972, a obsoleta rotatória foi substituída por oito viadutos, 20 alças de acesso e retorno, incluindo passarela de pedestres.
O complexo foi inaugurado dia 22 de dezembro de 2014 pelo governador Geraldo Alckmin (PSDB). O investimento totaliza R$ 120 milhões. A obra foi executada pelas empresas Autovias e Vianorte, ambas pertencentes à Arteris. 
O Trevão liga as pistas nos dois sentidos da Anhanguera com as rodovias Duarte Nogueira (SP-322 – porção final do Anel Viário Sul, que dá acesso à rodovia Antônio Machado Sant’Anna, a SP-255), Abrão Assed (SP-333) e avenida Presidente Castelo Branco.
“O Trevão é talvez o maior complexo viário da América do Sul, uma obra de excelência de engenharia realizada a custo baixo. O novo complexo viário foi entregue à população pelas empresas Autovias e Vianorte – ambas pertencentes à Arteris. 
O projeto nasceu quando se constatou que a antiga estrutura – uma rotatória com 420 metros de diâmetro, construída em 1972 – havia se tornado obsoleta perante o crescimento populacional e de tráfego da região.
                                            - FONTE:  Site do Jornal A CIDADE

Imagens da Região do Lagos | Vista aérea

Imagens da Região do Lagos

  • O Maior Trevão do Brasil na porta da Região dos Lagos em Ribeirão Preto - SP

    Obras vão beneficiar mais de 1,5 milhão de pessoas e aumentar a segurança dos motoristas.